Um bom lugar para morar

Paulínia se destaca por ser referência em desenvolvimento humano e social; política habitacional é voltada para crescimento urbano sustentável, ocupação de vazios urbanos e de áreas já consolidadas.

De distrito de Campinas a uma das cidades mais importantes do País, Paulínia vem se destacando ao longo dos 52 anos, desde que foi emancipada. Lembrada por ser sede de grandes empresas petroquímicas e pelas grandes produções cinematográficas, a cidade também é referência quando o assunto é desenvolvimento humano e atenção social. Hoje, o município detém os melhores indicadores da região, tanto na área social, como econômica.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) colocam Paulínia entre os cinco melhores municípios da Região Metropolitana de Campinas (RMC) em Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), com 0,795, acima da média estadual cujo IDH é 0,783. A cidade também se destaca no Índice Paulista de Responsabilidade Social (IPRS), situada no grupo 1, que engloba os municípios com bons indicadores de riqueza, longevidade e escolaridade.

E por falar em escolaridade, a taxa de analfabetismo entre as pessoas com mais de 15 anos em Paulínia é uma das mais baixas da RMC e está abaixo da média do Estado. No Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), o município deu um salto de quatro anos à frente em relação aos alunos do 5º ano. “Alcançamos a meta que só deveríamos bater só em 2019. De acordo com o Ministério da Educação, já estamos no futuro, afirmou a Administração Municipal.

Saúde

O trabalho sério em áreas sensíveis da saúde e a pronta-resposta em situações de epidemias que colocaram o País em alerta, como no caso da dengue, fazem Paulínia se diferenciar de outras cidades. Ações de combate ao Aedes aegypti ajudaram a reduzir em 95% os casos de dengue no primeiro semestre de 2016. A cidade também conseguiu reduzir de 9 dias para 4 ou 5 dias o tempo médio de internação no pronto-socorro, o que significa mais agilidade no atendimento e mais vagas pra a população.

A humanização no atendimento médico faz parte da política da Saúde, em Paulínia. Um exemplo disso é a maior proporção de partos normais, correspondente a 55% do total, em relação a partos cesáreos, 45%. Dados da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) apontam a redução na mortalidade infantil ao longo dos anos. A proporção do município é de 7 casos para cada mil nascidos. Para se ter uma ideia do indicador, a cidade de Salesópolis (SP), registrou uma média de 32 mortes a cada mil nascidos vivos. No Estado de São Paulo, essa média foi de 11,4.

Segurança

Um dos sinônimos de bem-estar, a segurança do município foi destaque no último ranking elaborado pela consultoria Urban Systems em parceria com a empresa Sator, divulgado em junho. O município obteve o primeiro lugar na área de segurança, no ranking da região Sudeste, e também nas áreas de governança, economia e urbanismo, no grupo das cidades com até 100 mil habitantes. A cidade também conquistou a 2ª colocação no prêmio “Polícia Cidadã”, do Instituto Sou da Paz, com o trabalho do Comitê de Gestão Integrada das Forças da Guarda Municipal, Polícia Militar e Polícia Civil.

O resultado da política de segurança do município fica evidente quando se observa a queda nos índices de criminalidade nos últimos dois anos. No caso de roubos de veículos, a redução foi de 54%. Paulínia registrou ainda queda de 23% nos casos de furtos de veículos, 23% nos casos de roubos em geral e queda de 7% nos casos de furtos em geral. A taxa de homicídio, de 6 por 100 mil habitantes, corresponde a de países desenvolvidos, de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU).

Além do trabalho executado pelas instituições e agentes de segurança, de acordo com a Administração, ações pontuais, como a redução de 22% para 6% nas falhas na iluminação pública, contribuem para aumentar a segurança da população.

Mercado Imobiliário

De 2010 a 2016, segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura de Paulínia, a cidade  aprovou 33 empreendimentos imobiliários. Desses, 15 já foram entregues. No período, mais de 7 mil novas moradias foram criadas no município. Atualmente, seis empreendimentos estão em análise na prefeitura.

Toda a política habitacional do município é voltada para um desenvolvimento urbano sustentável, de ocupação de vazios urbanos e de áreas já consolidadas. Isso impede que uma determinada região fique sem assistência municipal, como escolas e postos de saúde.

O empreendimento é responsável por toda a infraestrutura: galerias de água de chuva, guias, sarjetas e asfalto. O serviço de abastecimento de água e coleta e tratamento de esgoto é feito pela Sabesp, empresa do governo estadual.

Para a Prefeitura de Paulínia, os empreendedores acabam escolhendo o município por causa da renda das famílias, superior à média nacional, e da qualidade de vida. Soma-se a isso a localização do município, no centro da região metropolitana de Campinas e de grandes empresas, como a Petrobras, Rhodia, Invista (DuPont), Syngenta, VLI (logística), LSL (braço logístico da Honda), Brasken, entre tantas outras.

A prefeitura também enxerga nos empreendimentos uma possibilidade de emprego e renda para a população, aumentando a atividade econômica municipal, nesse período de grave crise econômica que passa o Brasil.

Empreendimentos imobiliários:

Região sul – 16 empreendimentos aprovados e seis entregues

Região oeste – Oito aprovados e quatro entregues

Noroeste – quatro aprovados e três entregues

Centro – cinco aprovados e dois entregues 

“Famílias buscam região com segurança” 

Opção de moradia que desponta na Região Metropolitana de Campinas (RMC), Paulínia vem se fortalecendo no cenário imobiliário.  É uma das poucas, dentre os 20 municípios da RMC, que reúne características de uma metrópole com a qualidade de vida de uma cidade pequena, compara Welton Nahas Curi, presidente da Associação Regional da Habitação (Habicamp).

Outros atrativos listados por Curi, e que também pesam na decisão por Paulínia – e também de outras cidades coladas à Campinas e que acabam atraindo clientes do mercado de vizinhas, por exemplo, a sede da RMC – é não ter a barreira do pedágio, fator visto como um impedimento para a escolha de Jaguariúna e Indaiatuba, por exemplo.  “Essas cidades são janelas que favorecem a conurbação na RMC. É muito mais fácil morar em Paulínia e trabalhar em Campinas, do que o deslocamento de quem mora próximo ao Ouro Verde e precisa ir para o Centro. Essa é uma das razões que explica porque a conurbação é apontada como caminho para a promoção da qualidade de vida dos 3 milhões de habitantes da RMC”, analisa o presidente da Habicamp.

A busca por um lugar que oferece um índice mais elevado de segurança, desejo primordial para o estabelecimento de uma família em uma nova região, também aponta para Paulínia. A cidade registrada menor número de ocorrências, em função do menor adensamento populacional e controle de acessos. A criação dos portais de acesso facilitou a questão da qualidade. Também não se pode deixar de mencionar o baixo custo de alguns serviços públicos e tributos.

Sob seu crivo como arquiteto e urbanista, Curi considera um bairro bem planejado quando atende aos quesitos de infraestrutura, saneamento, saúde e ensino. Analisando especificamente o novo produto da FTA em Paulínia – o loteamento fechado Residencial Terras da Estância – propor lotes de 200m2 atende a uma demanda que aguardava por lançamento fora do eixo médio-alto e alto padrão, perfis de produtos de dominaram o mercado paulinense. “É um tamanho que proporciona obras interessantes”, conta o arquiteto. Outro ponto favorecido pela urbanização de uma grande área com lotes em tamanho menores é mesclar a ocupação de uma região, promovendo uma diversificação de operações, geração de empregos e aceleração do desenvolvimento local. “Os trabalhadores da Refinaria e da Rhodia, como os de fora, terão acesso a uma nova realidade de mobilidade. Poderão fazer seus afazeres até de bicicleta, visualiza o arquiteto.

“Cidade estruturada para o futuro”

Paulínia é uma cidade com um pólo industrial muito forte, encabeçado pela Refinaria de Paulínia, (Replan), Rhodia e várias outras. Também se destaca por gerar um dos maiores  Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil, o que a eleva ao patamar de uma das mais ricas da RMC. De acordo com Daniel Pazinatto, diretor da área de loteamento da regional do Sindicato da Habitação (Secovi) em Campinas, a cidade se projeta no cenário regional, estadual e também nacional pela presença do Teatro Municipal de Paulínia, empreendimento de promoção cultural que atrai muitas empresas ligadas ao turismo e  cinema.

Do ponto de vista de deslocamento e logística, Pazinatto ressalta a presença de uma importante malha viária servindo quem pretende se estabelecer no município. “São razões suficientes para entender porque empreendedores optaram por Paulínia para o lançamento de empreendimentos com padrão equivalentes a Campinas e com a vantagem de valores um pouco inferiores”, diz.  A cidade se mostra uma boa opção para quem mora, inclusive, em bairros de Campinas como Castelo, Taquaral e que deseja morar em uma opção próxima.

De acordo com Pazinatto, que também é atuante como loteador no mercado imobiliário, o boom no mercado imobiliário local ocorreu na última década, mais precisamente a partir de 2002 ocorreu o maior volume de lançamentos. Outra importante característica do mercado paulinense é ser dotado de boa infraestrutura urbana, oferecendo avenidas largas, malha viária que comporta a demanda. “Enfim. É uma cidade muito rica, que se estruturou para comportar o crescimento pelos próximos anos”, avalia o diretor da área de loteamento da regional do Secovi.

Carente de produtos de padrão médio e econômico, Pazinatto diz que os lançamentos nesses perfis são os de maior liquidez e serão rapidamente absorvidos pela demanda. “Feliz de quem optar por Paulínia. É uma cidade de primeira linha já estruturada para o futuro”, finaliza.

Terras da Estância: segurança e bem-estar

Várias razões explicam porque 50% dos lotes da Ala dos Ipês do Residencial Terras da Estância, lançamento da FTA Desenvolvimento Imobiliário S.A., em Paulínia, estão sendo comercializados em apenas dois meses e meio. O produto traz características que o fazem ser único no mercado: uma das mais interessantes é que se trata do primeiro loteamento fechado com unidades de 200 m². Há também a proposta de urbanização completa da área localizada em uma região com atrativos para receber um audacioso projeto de um bairro planejado. Tudo isso está à disposição de um mercado que anseia por um produto com esses benefícios. Quem assina o projeto urbanístico é a empresa Rumo Certo, parceira na iniciativa.

De acordo com a diretoria da FTA, a primeira fase do bairro coloca no mercado 1.272 lotes, sendo inicialmente aberta a comercialização da Ala dos Ipês. Em uma próxima etapa, será colocada à venda a Ala do Bosque, que recebeu esse nome por ser contemplada com um bosque privativo de 76.000 m², que será reflorestado por 12.000 mudas de espécies nativas da região. A arborização das ruas será feita com 3.000 mudas distribuídas ao longo do viário.

Ao todo serão utilizados R$ 56 milhões na implantação da primeira fase do bairro. Para os empreendedores, o Residencial Terras da Estância contribuirá significativamente na valorização do entorno, o que se confirmará cada vez mais de acordo com as melhorias que serão acrescentadas. A expectativa é a de que 30.000 pessoas habitem o bairro – quase 1/3 da população atual da cidade – quando as quatro etapas do empreendimento forem implantadas.

Originado da Fazenda Estância dos Ipês, com uma área de 2 milhões e 500 mil m², o loteamento vai ganhar duas portarias projetadas pelo escritório DOM Arquitetura, dos arquitetos Denise Dal Gallo e Marcelo Bertolini, que também fará o projeto da sede da Associação de Proprietários.  “É uma releitura do estilo colonial com a predominância de madeira, valorização do telhado, presença de muitas janelas e o toque da cor terracota”, descreve a arquiteta. Para os compradores que indicarem outro cliente para fechar negócio, a FTA presenteará ambos com uma planta completa da residência, incluindo o projeto estrutural assinado pelo engenheiro Gualter Afonso e o projeto de instalações da HPF.

Projetado para o lazer e o bem-estar de toda a família, o residencial oferece sistema de lazer com academias ao ar livre, bicicletários, minicampos gramados para futebol, playgrounds, praças de convívio, quadras poliesportivas de areia, trilha ecológica, entre outros equipamentos, como sede social com salão de festas.

Mais um benefício é o Centro Comercial da Estância, que reunirá lojas de segmentos diversos, como salão de beleza, academia, lanchonete, floricultura, pet shop, cafeteria, padaria e farmácia, oferecendo aos moradores do residencial um centro de compras completo e diversificado, que reúne tudo em um só lugar. A FTA destinou 43 lotes para abrigar esse centro de conveniência e serviços.

Localização privilegiada

Com uma topografia plana que possibilita a vista de um lindo pôr-do-sol e com alta segurança por ocupar um perímetro complemente murado, o empreendimento é equipado com lazer e áreas de convivência, além de portaria e projeto paisagístico, que são alguns dos atrativos do loteamento fechado. Nenhum dos terrenos tem viela. A localização – a apenas cinco minutos do Centro, na região dos portais Greco-Romano e Medieval, próximo à Prefeitura, Teatro Municipal e Parque Brasil 500 – é outro diferencial que justifica o sucesso do Residencial Terras da Estância.

Sem comprovação de renda e também com a possibilidade de uso do FGTS para quitação do lote, o produto entra no mercado com o preço médio de R$ 698 o m². Outra facilidade para o comprador é a utilização do recurso assim que as obras de infraestrutura forem entregues – no segundo semestre de 2018 –, o que possibilita o pagamento antecipado com desconto. O comprador poderá usar o recurso para pagamento do lote e também para contratar o financiamento da construção. As vendas estão a cargo da FTA e da parceira Invistta, com quem a loteadora divide o estande de vendas.

“Responsável pela realização do empreendimento, a FTA estima empregar 100 pessoas nas várias etapas da obra. Movimento de terra e demarcação dos lotes já foram concluídos. As obras de galerias pluviais, esgoto e portarias estão em andamento”, afirma o engenheiro da FTA Sérgio Gil Ferro. Como forma de aproximar os futuros moradores de seu empreendimento, a FTA oferece informações atualizadas no seu site: www.fta.com.br/terrasdaestancia.

O estande de vendas

Os visitantes são recebidos em um moderno estande de 170 m² no local (Av. Luiz Greco, 500 – fone 19 3884-3995), em estrutura pré-moldada de aço e vidro, concebido para ser desmontado e transportado para as outras etapas do empreendimento. “É uma opção de obra limpa e sem geração de resíduos”, afirma o engenheiro da FTA Marcelo Toshiro Tanaka. O Residencial Terras da Estância oferece qualidade de vida, modernidade e respeito ao meio ambiente.

Por que eu comprei

“Graças à FTA, pude realizar o sonho de comprar um imóvel, o que era um desejo meu de algum tempo. Fiquei sabendo do Terras da Estância por um amigo. Depois de conhecer o loteamento, não tive dúvida de que era o que eu queria. As condições de pagamento facilitaram a realização da compra do terreno, onde em breve quero construir uma casa. A localização do Terras da Estância, que fica em uma cidade muito boa, é muito privilegiada, em uma das áreas mais valorizadas de Paulínia. Minha família também está muito animada e eu já indiquei o loteamento para quatro amigos. Todos já compraram seus terrenos. É um investimento maravilhoso! O atendimento da FTA desde o vendedor me impressionou muito.”

José Ronaldo da Silva

 

“A decisão de comprar um terreno no Terras da Estância veio com a minha vontade de investir em algo seguro e com retorno assegurado. Também pesou bastante o desejo de vir a construir uma casa lá, assim que eu puder. A localização do Terras da Estância é das melhores… fica numa cidade muito boa. A área de lazer me agradou muito. Mas a localização foi fundamental na escolha. Estou muito feliz com esse investimento.”

Rodrigo Tieghi

 

“Vários foram os motivos que me levaram a comprar um terreno no Terras da Estância. O primeiro é que ele está em uma grande cidade, dentro de uma região que não para de crescer. As condições de pagamento e as facilidades oferecidas pela FTA também me levaram a fechar o negócio. Só tenho elogios para a FTA. O que também me atraiu foi o fato de que os terrenos de 200m² facilitam a construção de uma casa de bom porte e mais em conta. Cidade boa, bem estruturada e a taxa de condomínio acessível foram outras razões. Se eu tiver condições, vou construir lá. Se não der, pelo menos tenho a certeza de que fiz um bom investimento. Não dá para esquecer do excelente atendimento que tive da FTA, que sempre me tratou muito bem e com respeito.”

Samuel Henrique Fernandes Gomes